PortuguêsEnglish繁體中文EspañolFrançaisItalianoفارسیDeutsch

5 ideias fantásticas de mobiliário urbano para as cidades

8648502945_a9cdd8ef87_b

Este post também está disponível em: Inglês, Chinês, Espanhol, Italiano, Persa, Alemão

Na busca por mobiliário urbano há um grande fator a ser considerado; cidades precisam considerar o histórico sócio-econômico da área e também da comunidade ao redor. A habilidade de um bom mobiliário de insipirar inovação e orgulho pode erguer uma comunidade e revitaluizar espaços públicos. Um espírito que está sem dúvida encarnado nestas cinco ideias fantásticas para o mobiliário público.

1. Nova York

A cidade de Nova York é uma metrópole famosa por produzir símbolos icônicos do estilo de vida urbano moderno, sempre apelando a uma população viciada em criativiade e design e ainda guiada por sustentabilidade ambiental e relevância cultural. Nos últimos anos a cidade tem visto um crescente número de espaços públicos ao ar livre reinventados através de bancos. Uma tendência que ganhou força quando a cidade começou a re-desenvolver espaços esquecidos e transformá-los em praças, como a sua orla. Mudanças de fatores sociais como uma queda na ocorrência de crimes e de população sem-teto permitiram essa tendência a crescer. Quando perguntado, Sr. Balsley, o arquitecto paisagista que trabalhou em Governors Island (uma ilha de 70 hectares em Upper New York Bay) disse: “Queremos que as pessoas se sintam confortáveis. Precisamos ficar longe de toda essa noção de que você deve sentar-se e olhar nessa direção. Isso é muito antiquado. ”

2. Londres

Este ano, em uma continuação do rejuvenescimento do mercado Lower Marsh em Londres, o Waterloo Quarter Business Improvement District (BID) contratou a London’s Aberrant Architecture para criar um “mercado de roaming”. A Aberrant Architecture criou esse quiosque mutlifuncional com características como: uma área de estar coberta, duas cadeiras e uma pequena mesa, um palco no piso superior bem como um poste perfeito para fornecer orientações para a área ao redor. Enquanto o mercado de roaming temporariamente ocupa o local, em Londres de 27 junho – 31 julho, não se pode negar o potencial da barraca de melhorar a experiência de da comida de rua em cidades de todo o mundo, aumentando a acessibilidade através da portabilidade.

3. Maastricht

O designer belga Sebastian Wiernick não é desconhedido dos desafios da criação de bancos públicos. Conhecido por seu uso de tubos flexíveis de polietileno (resíduos de garrafas plásticas), Wiernick encheu inúmeros espaços públicos e cafés com estas criações ce visual futurista equipado com iluminação própria. Esta combinação de arte pública e mobiliário público obriga quase que instantaneamente os que interagem com eles a reavaliar as percepções atuais de móveis, desperdício e espaço.

4. Amsterdam

Como você faz um banco sem o uso de parafusos ou cola? Simples, você recebe um feixe de bambu e amarra-o em conjunto com tiras de aço. Esta peça de mobiliário público não é apenas esteticamente agradável, mas segundo rumores, esses bancos são especialmente confortáveis. Um produto de “Pile Isle”, um projeto de design interessante iniciado por dois holandeses, os designers Elena Goray e Christoph Tonges. O benefício mais notável da bancada de bambu sendo a sua capacidade inerente de conectar áreas urbanas com a vegetação ao redor. Esta conexão não só melhora o ambiente, mas melhora a experiência para os cidadãos, introduzindo um elemento tão relaxante que quase faz você esquecer que está no meio de uma selva de concreto.

5. Zurich

Em abril deste ano, o Conselho da Cidade de Zurique instalou o Velokafi ao longo da margem do rio Limmat. Este drive-in ciclístico temporário era parte das tentativas dos conselhos municipais de reduzir o tráfego de veículos, incentivando e atraindo para pedestres e ciclistas. O Velokafi vem completo com duas estações de encaixe de madeira (para aqueles que querem compartilhar uma refeição / bebidas) e uma mesa bem dimensionada, projetada para permitir que os ciclistas possam desfrutar de uma pausa para o café sem sair de seus assentos. As últimas estatísticas prevêem que, até 2050, o número de ciclistas em Zurique será duas vezes maior que o atual.


Por Anade Situma no Future Cape Town – um site parceiro do This Big City.

Imagens via Teena WildmanDavid CarlsonFuture Cape TownLYN FabrikkenSuchart 77 e Knstrct.