|

Uma ponte ecológica: o parque-cobertura sobre o Rio Columbia

crc gallery

A construção de pontes no século XXI deve ser diferente e melhor do que no passado. O império romano construiu enormes viadutos feitos de blocos enormes de pedra para trazer água até as cidades. Hoje nós usamos pequenas tubulações subterrâneas.

A proposta para o Columbia River Crossing (CRC) deveria refletir nos entendimento moderno do aquecimento global e preservação de Salmões, ilustrando nossa melhor resposta para as condições difíceis que enfrentamos. A ponte CRC deve ser ecologicamente correta e multimodal. Deve possuir VLT, ciclovias e estrutura para pedestres para equilibrar a capacidade de carga de carros e caminhões. A ponte CRC terá uma pegada de carbono gigante e temos que mitigá-la com um design mais “verde”.

Uma solução simples e poderosa para isso é colocar um telhado-parque no topo da ponte CRC (ilustração abaixo). O telhado-parque, será uma ferramenta para captar água das chuvas que de outro modo cairia sobre a ponte e se misturaria com óleo e gás dos veículos. A poluição resultante disso é cara para ser tratada, logo, ao captar essa água com o parque, já economizaríamos dinheiro e salvaríamos os salmões do rio.

A central de tratamento de resíduos requerida para a estrutura atual da ponte CRC custará muito dinheiro, em torno de 12 a 15 milhões de dólares. Fora a central, a estrada da ponte deve ser inclinada para a drenagem e encanamento poderem ser instalados. Esses canos de metal e ralos custam mais dinheiro, somando à pegada de carbono da ponte. Em contraste, o telhado-parque precisa apenas de um sistema de encanamento reciclado e uma válvula, alimentado por painéis solares.

O governo federal realizou estudos sobre telhados verdes, onde foi prevista a absorção de 75% das águas pluviais, mas descobriram que eles captam 95% de toda a água. Ao remover o requerimento de uma central de tratamento, o telhado-parque poderia economizar muito dinheiro e melhorar a pegada de carbono do projeto. O parque do CRC terá 34 mil metros quadrados. Portland recebe aproximadamente 93cm de chuva por ano, acumulando aproximadamente 392 mil metros cúbicos de água captada.

Como mostrado acima, o Telhado-Parque será como uma “tampa” curva para a ponte. Essa curvatura tornará a ponte muito mais aerodinâmica. Esse formato eficiente reduzirá o estresse estrutural, reduzindo custos de manutenção, como resultado. A economia graças a uma melhor performance do vento serão iguais aos custos de inclusão de um sistema de calibração adicional leve (note que a “sujeira” do parque é composta de uma grama leve projetada artificialmente, ancorada a uma rede matriz para torná-la a prova de ventos e erosão. Não é como o jardim da sua avó).

Pontes são projetadas para ser 3 vezes mais fortes do que o necessário para que a carga extra de 10KG/M² seja absorvida sem necessidade de custos adicionais. O Telhado-Parque será um espaço verde único e de alto nível. Poderá ser o símbolo de uma Portland verde. Nós amamos nossas usinas de energia solar ou nossos moinhos eólicos, mas eles estão longe da vista e claro, despercebidos. O parque CRC saudará cada visitante dirigindo desde o norte e cada avião chegando ao aeroporto. Um grande parque em arco logo acima da Grande Columbia atrairá ecoturistas, uma indústria que vale centenas de milhões de dólares, vindos de todo o mundo.

O negócio de ecoturismo faz bastante sentido para Columbia, com nossas paisagens naturais estonteantes, atividades ao ar livre e pensamento progressista. A região precisa de um símbolo poderoso, uma que claramente represente nossas crenças verdes. O Parque-Telhado Multimodal da Ponte CRC pode ser nossa Golden Gate verde. Nosso portal verde para o Noroeste.